quinta-feira, 7 de outubro de 2010

(Antiga) Chuva,


lá fora está frio e chove, mas não tanto quanto aqui dentro de mim. Pego meu cobertor e sento na poltrona em frente a varanda, abro o vidro da porta e fico vendo a chuva cair. A chuva é misteriosa, gelada e linda. É inexplicável a paz que ela me traz, quando vejo a chuva sinto uma sensação de tranquilidade. Como se todos os meus problemas evaporassem, e perco o tempo naquele momento. Não sei como escrever, sinceramente acho que não há como descrever o que eu sinto. Talvez seja louca, ou não. Simplesmente, a chuva é o meu ponto de paz. Lembro que quando criança, ao invés de tomar banho de chuva com meus amigos, pegava meu coelinho de pelúcia e sentava no meio do pátio, sentia as pequenas gotículas de chuva caírem sobre mim... O vento bate sobre as árvores e elas balançam em harmonia, o barulho da chuva acalma o meu coração e, eu me entrego a esse doce som da água batendo no asfalto e os pássaros cantando. Consigo chegar a tranquilidade, só queria que você estivesse comigo, diminuindo o meu frio.